HISTÓRIA:

 

O SOS – Serviço de Obras Sociais, fundado em 20 de agosto de 1965, atendendo uma necessidade social da época, que era acolher migrantes que vinham com suas famílias em busca de uma melhor condição de vida, ser absorvido pelo mercado de trabalho e fixar residência na cidade ou região, foi constituído por pessoas benevolentes que sensibilizados com essa causa ofereciam espaço para acolhimento, com direito de pernoites, refeições, remédios, cesta básica e atendimento social.

Com o passar dos anos esse público foi se modificando e passamos a acolher além de migrantes, pessoas que perambulavam pelas ruas em procura de abrigo e acolhimento. A entidade passou a oferecer também atendimento odontológico e clínico com voluntários e estagiários das respectivas áreas.

Com o avanço das drogas e a facilidade para compra e consumo de bebidas alcoólicas, percebe-se um grande aumento do número de adictos, principalmente alcoolistas, ocupando as ruas da cidade, vindos de outros municípios e estados. E um público cada vez mais jovem. A entidade foi se reestruturando para oferecer um atendimento digno e humanizado com possibilidades de reinserção do indivíduo à sociedade com sua alta estima elevada e a certeza de encontrar pessoas amigas sempre dispostas a lhe estender as mãos.

Em 2013 a Entidade faz a opção por acolhimento Institucional na modalidade Casa de Passagem conforme exigido pelo MDS através da Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais. Resolução nº 109, de 11 de novembro de 2009. Especializamo-nos ainda mais nos atendimentos e adequamos nossos espaços para melhor atende-los. Somos um serviço de acolhimento institucional de Alta Complexidade, configurado para o acolhimento de Homens, Mulheres e Família.

ATUALIDADE:

O SOS - SERVIÇO DE OBRAS SOCIAIS é uma entidade filantrópica, assistencial, sem fins econômicos, que há mais de meio século, oferece abrigo, higiene pessoal, alimentação, atendimento social, psicossocial e terapêutico, para as pessoas em situação de rua, no objetivo de resgatar sua autoestima e construir sua autonomia. Atuamos como Abrigo Institucional na modalidade CASA de PASSAGEM em Jundiaí e na cidade de Louveira CASA ABRIGO e ABORDAGEM SOCIAL.

Casa de Passagem é uma unidade de acolhimento imediato e emergencial para pessoas em situação de rua, formada por homens, mulheres, famílias e menores de idade quando acompanhados dos responsáveis. Trabalha na perspectiva de atender a demanda específica, verifica a situação apresentada e assim realiza os devidos encaminhamentos. Possui uma equipe especializada para atender e receber usuários a qualquer horário do dia ou da noite e realiza estudo de caso para encaminhamentos necessário. Deve-se considerar que o sujeito/família está de passagem, em trânsito. Acolhemos até 32 pessoas.

Casa Abrigo é uma unidade que oferece acolhimento provisório, inserida na comunidade, com características residenciais, e que proporcione ambiente acolhedor e respeite as condições de dignidade dos seus usuários. Ofertamos atendimento individualizado e especializado, com vistas a conhecer a história da pessoa que esta sendo atendida. Realizamos abordagens sociais a fim de favorecer o fortalecimento de vínculos sociais, comunitários e familiares. Acolhemos em Louveira até 20 pessoas.

O atendimento é ininterrupto (24horas), nosso quadro de funcionário é composto por Administrador de Empresa, Assistentes Sociais, Psicóloga, Terapeuta Ocupacional, Cuidadores entre outros. Lembrando que: dada a complexidade da demanda dos Serviços de Acolhimento para Pessoas Adultas e Famílias em Situação de Rua, é importante que os (as) profissionais que irão atuar nestes espaços tenham proximidade e habilidades teóricas e técnicas para a realização do trabalho com os e as usuárias destes Serviços.

Dentre os atendimentos que realizamos podemos destacar: Almoço, Jantar, Café da manhã, Troca de roupas no asseio pessoal, Atendimentos Sociais Individuais, encaminhamentos para o Serviço de Saúde do Município, Elaborações de Currículo, Contatos Pessoais ou Telefônicos com Empresas para Emprego Formal ou Informal, Contatos Telefônicos para Familiares de Usuários, Visita Domiciliar, Contatos com o CAPS AD ou Clínicas de Apoio para Tratamento do Usuário em questão, Declarações de: Pobreza, Trabalho, Residência e outro e nos Embarques de Usuários para São Paulo, entre outros serviços.